1. Sacrifício de sangue: violentada e deflorada pelo próprio genitor…


    Encontro: 06/06/2021, Categorias: Estupro Incesto Virgem Autor: Clara Soledade, Fonte: ContosEroticosCnn

    Tratava-se de uma casa muito elegante com portões de ferro que guarneciam um belo jardim de rosas, muito bonito por causa do balanço de madeira branca onde chorava uma mocinha linda com os olhinhos azuis que ainda exalavam a infantilidade da juventude, além do desespero de perder para sempre a pessoa que mais amava. – Eu não conseguirei fazer essa coisa abominável! Dona Ariadne era uma velha protegida por uma manta negra, parecia uma bruxa, talvez por causa dos seus cabelos brancos como a neve e também pelas rugas que se espalhavam pelo rosto, era uma mulher que chegava a assustar os desconhecidos, mas que aparentava uma bondade fraterna ao responder aquela menina que se tornava mulher a cada dia que passava. – Eu sei que é terrível o sacrifício que estou anunciando, mas essa é a única forma de você salvar a vida de sua irmãzinha, para isso os sacrifícios são necessários. Lamento, mas para ter o que deseja precisará praticar esse ato doloroso, degradante, uma verdadeira perversão! – Dona Ariadne, trata-se de um pecado mortal! – Sim, querida, com toda a certeza, mas somente esse pecado salvará aquela que ama, pois apenas com esse sacrifício criminoso você salvará a vida da sua irmãzinha, pense na vida dela ao aceitar ou não cumprir com o ritual. Uma mocinha de treze anos chorava no jardim, uma mocinha que começava a ter corpo de mulher, o espartilho lhe apertava a cintura dando a impressão que os seios já eram adultos e os lábios vermelhos naquela face alva a deixavam mais madura do que o permitido para a sua infantilidade, mas a mocinha apenas pensava na vida dura que estava tendo após a morte da mãe e com a doença que atingia a sua irmãzinha que tanto amava, os médicos disseram que ela tinha pouco tempo de vida, o que causou um profundo desespero anunciando nestas palavras: – Por favor, eu pedi para a senhora um sortilégio, mas isso é terrível! Dona Ariadne tinha paciência com aquela menina que buscava um milagre, mas para isso era necessário oferecer algo muito precioso. – Isabel, os seus pedidos serão atendidos se você macular o seu corpo, entenda, os deuses só atenderão as suas preces se você permitir ser deflorada por um macho, sei que é difícil, pois eu vi nas cartas que a sua irmãzinha não tem muito tempo de vida. Por favor, meu anjo, acredite em mim quando afirmo que se houvesse outro ritual, este sacrifício abominável não seria necessário! Dona Ariadne era conhecida por ser uma feiticeira naquela cidade cheia de pecados, uma espécie de guia espiritual para os grandes magnatas que viam a sua fortuna crescer graças as bênçãos dos deuses que aquela velha ofertava, um desses magnânimos era um fazendeiro de grande importância chamado Herculano da Cunha, um homem rude e de origem humilde que trabalhou muitos anos até comprar aquela casa gigantesca onde uma mocinha chorava num banco de jardim, uma mocinha tão angelical que não lembrava nem um pouco a grosseria da figura paterna. – Por favor, eu não posso me entregar ao meu pai! – Eu sei que o ...
«1234...13»