1. Menina perversa


    Encontro: 06/06/2021, Categorias: Incesto Primeira Vez / Adolescentes Virgem Autor: Papai, Fonte: ContosEroticosCnn

    Casei-me com Jéssica quando ainda éramos adolescentes por conta de uma gravidez inesperada. Até pelo fato do nosso casamento ter sido meio que forçado, nunca fui exemplo de fidelidade. Embora tenha aprendido a amar minha esposa, nunca fui capaz de resistir às outras mulheres.
    
    Nossa primeira filha, Ana Paula, tornou-se uma bela mulher e ficou noiva daquele que foi seu namorado de infância, o filho de nossos melhores amigos. Os únicos que realmente estiveram ao nosso lado, dando todo apoio à um relacionamento que parecia estar fadado ao fracasso. Se hoje somos um casal tão feliz é por causa de Alexandre e Elaine, a quem chamamos carinhosamente de Xandi e Laine.
    
    Diferente de nós, eles se casaram por escolha própria e não pela imposição de uma gravidez. Formam um belo casal e sua filhinha adolescente, Priscila, é a melhor amiga da nossa filha mais nova, Renata, o que nos enche de orgulho.
    
    Apesar de tudo, sempre tive uma queda por Laine, mas sempre respeitei a velha amizade com Xandi e nunca tentei nada com ela.
    
    Além de Renatinha e Ana Paula, temos ainda uma filha do meio, Carolina. As três são nossos maiores tesouros.
    
    Priscila desde menina freqüentou a nossa casa, tendo, inclusive a chave. De igual modo, minha filhinha mais nova, Renatinha, sempre freqüentou a casa dos nossos amigos de infância. A amizade entre as duas floresceu firme e bonita, o que nos trouxe muita paz, pois conhecemos seus pais e confiamos em seu caráter.
    
    Tudo mudou em um fim de semana em que minha esposa teve que viajar a negócios e eu tive que voltar para casa mais cedo por conta de um mal estar súbito. Passei no Dr Mendonça, tomei soro e ganhei o dia. Ao chegar em casa, quase tive um enfarto. Havia uma trilha de roupas começando na sala e tomando o caminho para nosso quarto. Não me veio outra idéia na cabeça senão a de que algum filho da puta estava traçando uma de minhas meninas. Certamente não poderia ser Ana Paula, pois se ela quisesse transar com o noivo, fariam isso no apartamento que dividiam e não na casa de nossa família. O choque foi tão terrível que tive que me sentar por um momento. Minhas mãos tremiam e eu não conseguia me acalmar de jeito nenhum.
    
    Foi assim, trêmulo e cambaleante que me encaminhei para o quarto, onde já podia ouvir os gemidos dos dois. Pensei em abrir a porta de uma só vez e flagrar quem quer que estivesse no quarto, mas senti um mal estar súbito que me roubou as forças. Tudo o que pude fazer foi entreabrir a porta. Do ângulo em que eu estava não era possível ver diretamente a cama, mas pelo espelho do guarda-roupa eu pude ver Priscila, a melhor amiga de minha caçula, pagando um boquete para um desconhecido.
    
    Não posso mensurar o tamanho do meu alívio. Embora o que eu estivesse vendo fosse algo realmente desagradável, um desapontamento sem tamanho, ver uma menina que eu considerava tão íntegra, filha de meus melhores amigos, evangélica inclusive, chupando o sujeito na mesma cama em que eu amara minha esposa tantas e tantas ...
«1234...16»