1. Vida Louca


    Encontro: 10/06/2021, Categorias: Amor droga, Sexo, Heterossexual Autor: Katita, Fonte: CasadosContos

    ... ficamos nos beijando, eu deitada com a cabeça em cima de um de seu braço, quando eu percebi ele tava com a outra mão se punhetando devagarinho, então eu disse deixa isso comigo, e voltei a mama-lo, e punhetar quando o cassete atingiu o nível Hard, eu falei quero sentir você encher meu cuzinho de porra, ele me colocou de quatro, deu uma lambida no meu anelzinho depois enfiou um dedo, quando sentiu ele piscar, soube na hora que eu tava pronta, para agasalhar no meu rabo o seu magestoso cassete, e foi o que fez, cuspiu no pau e pincelou meu buraquinho do prazer, foi metendo até tá tudo dentro, um bombar delicioso, enquanto isso, eu me tocava e mexia feito louca, quando entramos em cinclonismo perfeito, gozam os, e ficamos por algum tempo engatados, como dois cachorros.
    
    Quando nos demos por satisfeitos, fomos para o colchão dele, porque o meu tava todo enxarcado, porque escorreu muita porra de dentro de nós.
    
    Só que a partir daí surgiram alguns problemas, ele não queria me socializar com a rapaziada, o que fez com que o Guga, que era uma expecie de cara que faz com que a bagunça fique organizada.
    
    Então Guga teve um papo cabeça com ele, falando que pra ficar ali não podia fugir as regras da cominidade, ele então me puxa para um canto, e pergunta se eu queria ir com ele pra outro lugar, eu que já estava gamada no boy magia, falei que iria com ele sim.
    
    Então pegamos nossas mochilas e partimos, mais não brigados ou zangados com alguém de lá, fomos de boa com todos.
    
    Acabamos indo pra outra cidade, onde tinha uma espécie de sítio, que era habitado por outra comunidade, não tão legal quanto a outra, mais era o que tínhamos por aquele momento.
    
    Perto de completar um mês que estávamos juntos, eu descobrir que tava grávida, ele um cara tão legal, que nem questionou se o filho era dele ou não, ficamos assustados com a novidade, porém por incrível que pareça, ficamos felizes.
    
    A partir dessa notícia, ele começa a caçar um lugar melhor pra nós, acabou que ele achou um serviço, que era pra sermos caseiros de um sítio, não muito longe dali, os donos eram ótimas pessoas, nós pagava legal, e assim os meses se passaram, até que nasceu nossa filha, que por coisa do destino era a cara dele.
    
    Como ele se chamava Solano, resolvemos colocar o nome dela de Sol.
    
    Quando minha filha estava com 8 anos, Solano teve um problema grave de saúde, e veio a falecer.
    
    Foi graças a ele, e minha filha, que hoje me tornei outra mulher, hoje vivo para minha filha, fruto do único e verdadeiro amor, que tive na vida. 
«12»