1. Com a mulher do meu cunhado de novo, finalmente.


    Encontro: 10/06/2021, Categorias: Heterossexual Autor: rodf, Fonte: ContoErotico

    Olá, meu nome é Rogério e estou contando minhas aventuras sexuais. Todas as situações realmente aconteceram comigo. As identidades (inclusive a minha) serão preservadas. Moro em Florianópolis, tenho 50 anos e sou casado.
    
    Se você não leu meus contos “A mulher do meu cunhado” e “Meu segredo mais secreto”, recomendo que os leia antes, para depois ler este.
    
    Neste verão, por causa da pandemia, meu cunhado propôs que passássemos um período juntos durante nossas férias em janeiro. Disse ter achado uma casa enorme com piscina no Norte da Ilha, que chamássemos minha sogra (mãe dele e de Gabriela, minha esposa) e que se respeitássemos uma quarentena antes e fizéssemos testes, não daria problema.
    
    Gabriela adorou a ideia, todos adoraram, na verdade, menos eu. Vejam minha situação, ficaria enfurnado direto em uma casa com Ludmila, esposa do meu cunhado e com Maria, minha sogra.
    
    Ainda que as duas tivessem postura exemplar na frente da minha esposa e do meu cunhado e nunca deixarem transparecer nada, inclusive sem uma saber da outra, meu medo de em uma troca de olhares acontecer alguma merda na família passou a ficar grande. Mesmo sem ter rolado nada mais entre eu e Ludmila depois de Brasília em 2017 e, por causa da pandemia, eu e minha sogra tenhamos transado pela última vez antes dessa loucura toda começar.
    
    Mas não havia nada a fazer, todos toparam, protocolos de saúde cumpridos, na primeira semana de janeiro lá fomos nós para um veraneio em família.
    
    Minha esposa estava muito animada de estarmos todos reunidos, seria legal para as crianças ficarem mais tempo juntas e com a avó. A casa era realmente maravilhosa, enorme, dois andares, quatro suítes, piscina enorme, churrasqueira...chegamos na casa no sábado, dia 9 de janeiro, um dia maravilhoso de sol, muito quente e enquanto organizávamos tudo, as crianças já caíram na piscina e eu, como não podia deixar barato, fiz um belo churrasco para abrir nossas férias com chave de ouro.
    
    A tarde passando, já com um pouco de álcool na cabeça, enquanto assava a carne, enxergava o pessoal na piscina e de certo ângulo da churrasqueira, onde me sentei, via apenas uma espreguiçadeira, onde a mulher do meu cunhado deitou-se para tomar sol nas costas. Num primeiro momento tudo normal, de vez em quando eu a olhava, dava uma conferida se ninguém me via e aproveitava para dar uma secada em como estava aquele corpinho. Até que em determinado momento, notei que ela estava olhando para mim, fixei o olhar no olhar dela, mas dessa vez não desviei e nem ela, por alguns segundos ficamos daquele jeito e então fiz um gesto com a cabeça meio que perguntando: o que foi? Ela respondeu com o dedo indicador, com aquele gesto como se deixasse para depois.
    
    Mais tarde, quando todos estavam tomando banho, apenas Ludmila estava na cozinha preparando a comida para o seu pequeno, cheguei ao seu lado e sussurrei: o que foi aquilo, à tarde? Ludmila, olhando ao redor para ver se estávamos a sós mesmo, respondeu também sussurrando: ...
«123»