1. Minha ruivinha, meu tesão- Capítulo 1 - Ciúmes passionais


    Encontro: 11/06/2021, Categorias: safada, Grupal Porra, dp, putinha, pai e filha, Filha, Pai, Incesto Heterossexual Autor: Lucas, Fonte: CasadosContos

    Meu nome é Lucas, tenho 40 anos. Sou ex prefeito de uma das cidades mais importantes do sul do Rio Grande do Sul. Tenho descendência alemã. Sou grande e sempre me cuidei muito bem. Minha família sempre foi de politica na cidade. Logo cedo me tornei prefeito e fiquei por 8 anos a frente no cargo. Decidi sair da politica e focar em projetos pessoais que havia deixado na adolescência pra cuidar da politica com meu pai. Sou faixa preta de Jiu Jitsu e desde muleque meu grande sonho era me tornar um atleta. Acabou que nunca competi mas me tornei um professor muito respeitado. Logo cedo me casei com Letícia, minha ex mulher. Ela sempre foi muito puritana no sexo e por consequência eu me fartava com as estagiarias da prefeitura e minhas alunas.
    
    - Vai prefeitinho, mete! - dizia a estagiária
    
    - Puta que pariu sua puta, que buceta gostosa
    
    - Isso, fode, sou sua putinha!
    
    Porra na buceta da novinha! Pílula do dia seguinte pra estagiária e vida que seguia
    
    Com 22 anos já tinha sido pai. Coisas de família do interior. Tive uma filha. Lia. Ruiva, magrinha, 18 anos, boca grande, sorriso lindo, daqueles que sobram espaços na boca, dentes branquinhos, pele branquinha, 164 cm, seios durinhos, pequenos, bumbum pequeno, mas bem redondinho, era uma falsa magra. Parece muito Marina Ruy Barbosa
    
    Minha família sempre foi uma família muito retrógrada, família de colônia do interior. Enquanto o homem trabalhava a mulher cuidava da casa e assim foi comigo. Nunca tive contato íntimo com minha filha, apesar dela sempre ser muito carinhosa comigo desde pequena. Trazia café na cama pra mim quando nos domingos tínhamos quer acordar cedo para ira pra fazenda do vô. Lia e eu ficávamos vendo desenhos no domingo de manha. Era o máximo de tempos que ficávamos juntos na semana. Mas era quase que um compromisso, ela ver desenho deitada no meu colo. O tempo passa, minha filha e minha esposa ficam mais unidas. Nas férias elas viajavam sem mim. Viviam indo para fora do pais. Eu ficava na cidade, comendo minhas amantes, alunas e estagiárias.
    
    Minha esposa pede a separação quando decido não mais me candidatar a qualquer cargo politico. Pra ela o importante era o status. Financeiramente não precisava daquilo e meu casamento já estava uma bosta. Minha filha vai morar com a mãe. Resolvo focar meu tempo todo na academia. Reestruturo mais ainda e se torna um polo no Artes Marcias na região. Dava aula todas as manhas e todas as noites. Deixava a tarde para cuidar de meus afazeres na fazenda e ainda dar pitacos na politica.
    
    Minha filha começa, subitamente, a ir na academia todas as noites. Certa vez ela chegou com um shortinho leggin, bem coladinho, bucetinha inchadinha, marcada. Eu estava de kimono e sem camiseta no tatame quando ela de longe e no momento pensei, “Caralho, que gostosa!”. Junto dela havia uma amiga, essa amiga tinha conhecido na faculdade de medicina que havia na cidade vizinha a nossa.
    
    - Pai, essa é a Mari, ela é minha amiga da faculdade, vai treinar aqui na ...
«123»