1. Outro conto da Kelinha minha vizinha


    Encontro: 13/06/2021, Categorias: Fantasias Virgem Autor: Anônimo, Fonte: ContosEroticosCnn

    No outro conto, eu terminava finalmente comendo a kelinha na fazenda, depois desse episodio, ela continuou me mandando mensagens, mas pra minha sorte, as circunstancias não facilitaram nada entre nós, seguimos com as nossas rotinas, ela ia pra escola todos os dias, voltava, brincava um pouco e sumia. Como diz a musica, naquelas verdes pastagens tudo estava sossegado, e o chifrudo não gosta de ver ninguém queto, começou aquele tumulto de novo, kelinha vindo no comercio de shortinho, me mandando mensagem, me atentando o tempo todo, eu pedindo pelo amor de deus para não deixar eu cair nessa tentação de novo, quando num fim de semana, a kelinha me aparece com uma coleguinha, uma moreninha quase mulatinha, mais encorpada que a keli, ate mais ou menos delicinha, bundinha grande, redonda, em resumo, bem grandinha pra idade dela, notei bem seus atributos pois ela estava de short, não muito curto, dava pra ver que a coxas dela eram bem grossas. As duas vieram aqui, compraram alguma coisa, cochicharam e saíram rindo pela rua, pensei, o que será que essas diabinhas tão se divertindo tanto em?? Sei que a keli não da ponto sem nó, alguma coisa elas tavam aprontando e descobri que a amiga, vamos chamar de Flavinha, iria ficar o fim de semana todo na casa da keli para as duas “brincarem”. Sabendo disso, juro que pensei em comprar o primeiro pacote de viagem que tivesse para sumir dali no fim de semana, mas lembrei que tinha muito o que fazer e não dava pra sair naquele momento. Naquele mesmo dia, as duas gracinhas vieram aqui mais umas 4 vezes, cada hora pra uma coisa, e saiam rindo e fazendo graça. Como era sexta feira, eu já estava quase fechando a mãe da keli comprou umas cervejas e convidou eu e a minha esposa para relaxarmos na casa dela que ia fazer um picadinho de carne, e tal, só pra jogar conversa fora mesmo…beleza, fomos, eu não estava nada a vontade naquela casa, só me vinha a memoria a ultima vez que estive alí, e a keli percebeu e não tirava os olhos de mim, ela sabia exatamente o que eu estava pensando…eu estava sentado na cadeira na porta da cozinha que saia na sala, onde as meninas brincavam no chão, o resto das pessoas dentro da cozinha, não tinham visão da sala, só eu! Quando eu penso que não, olhei pra sala, a kelinha estava olhando pra mim e fazendo como se subisse em cima da Flavinha, isso fazendo caras e bocas pra mim…eu só pedia pelo amor de deus para a minha mulher querer ir embora depressa, não podia segurar aquela situação por muito tempo sem dar bobeira. Graças a deus, a hora de ir embora chegou, já estava suando frio no meio daquela tempestade. Sábado de manhã, tudo normal, não vi as meninas, tudo em paz por ali. Deu a hora, abaixei a porta e comecei os preparativos para ir embora, lavar, guardar, deixar tudo bem organizado para o próximo dia útil. Como estava muito quente, tirei a camisa, fiquei so de bermuda e descalço, já tava tudo fechado mesmo, ate que, escutei alguém bater na porta e me chamar, uma voz que eu conhecia bem, ate ...
«1234»