1. PODEROSA - 15. A Princesa, a Gata e o Monstro!


    Encontro: 21/07/2021, Categorias: balada, Sequestro, Bane, Mulher-Gato, Arlequina, Briga, luta, Anal Super-heróis, Oral sensual, poderosa, Liga da Justiça, Criminosos, DC, Kryptoniano, Aventura, Heterossexual Autor: Raslet, o Bardo, Fonte: CasadosContos

    Alguns dias haviam se passado desde o encontro de Poderosa com seu grande fã nigeriano e depois de sua depravada arrecadação as finanças de sua empresa estavam indo de vento em popa.
    
    Karen em seu apartamento preparava contente o almoço enquanto conversava com seus hóspedes sobre os pais do garoto.
    
    —Eu não quero dizer que tenha pais ruins, mas você não acha que eles passam tempo demais viajando? – perguntou Arlequina sentada a mesa comendo alguns petiscos com um olhar curioso sobre o garoto ruivo.
    
    —Não é tão ruim quanto parece. Eu gosto. Posso fazer o que quiser na hora que eu quiser. Claro quando eles não contratam aquelas babás superchatas. – falou Fisher com uma careta desgostosa.
    
    —Faz tudo o que quer né? Tipo chantagear pessoas. – falou Karen alfinetando o garoto.
    
    Fisher sorriu sem jeito e pediu desculpas. A kryptoniana apenas lançou um sorriso simpático e sem mágoas.
    
    —O que seus pais fazem para viajar tanto? São assassinos da CIA ou algo do tipo? Por favor, diga que sim. – perguntou Arlequina curiosa arrancando um riso de sua amiga que colocava os pratos na mesa.
    
    —Não. – respondeu Fisher rindo. —Eles são pilotos de aviões comerciais. Fazem a rota internacional, por isso passam tanto tempo fora. Então eu sempre fico com alguma babá ou com a minha irmã mais velha. – explicou Fisher sentindo sua barriga reclamar de fome.
    
    —Sempre achei que você fosse filho único. – falou Karen surpresa colocando os talheres sobre a toalha branca.
    
    —Não sou. Ela tem 26 anos e foi morar sozinha antes de você chegar aqui. Trabalha e faz faculdade então não é sempre que pode ficar comigo. Ela é legal. – falou Fisher de olho na macarronada em cima do fogão.
    
    —É mais legal que a gente? – perguntou Arlequina um pouco enciumada.
    
    Fisher riu e antes que pudesse responder seu celular tocou fazendo a atenção do garoto ir para o aparelho.
    
    —Então... Karen. – começou Arlequina vendo Fisher se afastar para conversar com seu amigo.
    
    —O que? – perguntou a kryptoniana toda desconfiada com a tonalidade de voz de sua amiga.
    
    —Vou sair hoje de noite. – avisou Arlequina toda sorridente.
    
    Karen olhou de modo sério e curiosa para a criminosa.
    
    —Vai aonde?
    
    —Me divertir. – respondeu Arlequina ajudando a trazer a comida para mesa.
    
    —Se divertir? – repetiu Karen com preocupação na voz.
    
    —Sim. Curtir uma balada, encontrar um cara interessante e trepar até cansar. Diversão. – explicou Arlequina com um sorriso inocente.
    
    —Não sei se é uma boa ideia. – falou Karen sabendo que Harley era uma máquina ambulante de confusões.
    
    —Ah qual é peituda? Enquanto no último fim de semana você ficou fudendo com um negão de pau enorme do outro lado do mundo, eu fiquei aqui bancando a babá seguindo uma lista RÍDICULA e CHATISSIMA de regras. – argumentou Arlequina fazendo uma careta entediada. —Eu também tenho direito de me divertir. – completou.
    
    Karen ficou pensativa.
    
    —Não adianta nada me proteger do morcegão, se não demonstrar que confia em mim. – ...
«1234...16»