1. Duas anjinhas e eu. EP01: Gabriel


    Encontro: 03/09/2021, Categorias: homem mais velho, Primeira Vez / Adolescentess, Sexo, Masturbação Bissexual camgirl, híbrido, Trap, Travestis Gay / Homossexual Autor: Gabriel Frazão, Fonte: CasadosContos

    Eu brincava com os freios do banco do carona quando Rafaela se sentou ao meu lado no carro. Beijou meu rosto. Eu pude antever e, como previsto, vi o aparelho nos dentes e o cabelo ondulado dando presença para ser humano tão magro. A jaqueta jeans larga lhe fazia parecer ainda mais frágil. Seios não poderiam ser identificados por debaixo da camisa e seu bumbum era bem escondido por saias longas ou vestidos comportados. Parecia boa moça, eu diria. A educação foi bancada pela tia, pois os pais sumiram no mundo quando Rafaela era bebê. Assim tinha ela ausência de figura paterna e, embora eu fosse somente instrutor, por vezes ouvia desabafos e aventuras. Aventuras a contradizer os ares angelicais e dar a ela temperos mais mundanos.
    
    Na data em especial, antes de dar partida ou me questionar pela milésima vez sobre a chave de seta (pra cima liga a seta pra esquerda ou direita, puxou sei lá de onde o smartphone, dedo pra cá, dedo pra lá, me mostrou foto.
    
    β€” Olha essa amiga! β€” me disse Rafaela, descontraída.
    
    β€” Nossa! Linda ein! β€” respondi. E era mesmo. Talvez lentes de contato azuis, deitada na cama com a bundinha (bem redonda por sinal) pra cima. Adolescente de cabelos bem vermelhos, assim como as maçãs do rosto e o batom. Maquiagem bem carregada.
    
    β€” Rsrsrsrsrs β€” riu e continuou, após dar atenção para a tela outra vez β€” E aí, Gabriel? Pegava? β€” outra risadinha β€” Pegava? Rafaela nunca havia falado assim comigo. Havia algo de estranho ali. Mas eu decidi entrar na brincadeira, já prevendo oportunidades.
    
    β€” Claro! Pegava e pegava com vontade! Essa aí, minha filha, não iria esquecer de mim nunca mais! β€” continuei. Se ela tivesse a mesma idade de Rafaela, talvez fosse crime. Mas era só brincadeira, por isso nem perdi tempo preocupado com tais pormenores.
    
    Ela pareceu encontrar outra imagem e, às gargalhadas, me mostrou e perguntou outra vez:
    
    β€” Ah é? E agora?
    
    A amiga estava em outra posição, agora mais ousada. Possuía peitinhos médios e era bem esbelta. Saia curta, sexy... Bem putinha. Quis eu ali ser uns oito anos mais jovem para poder arriscar a sorte com a gostosinha.
    
    β€” Ué, como e agora? Pegava na moral. O problema é uma gatinha dessas querer alguma coisa com um cara mais velho, tipo eu.
    
    β€” Gatinha? Onde?
    
    β€” Na foto né
    
    β€” Gatinho, você quer dizer β€” e explodiu em rir.
    
    β€” Larga de ser besta, menina.
    
    β€” É sério! É meu amigo, Michaela. Gostosinha né? Ela está se transformando desde os quinze parece. E tá indo bem! Daqui a pouco ninguém vai nem imaginar o fato de ser um menino, com piroca e tudo mais.
    
    β€” Piroca? β€” perguntei eu, como se questionasse as tendências evangélicas de Rafaela.
    
    β€” Piroca, porra. Que que tem? β€” e riu como a adolescente boboca que era.
    
    β€” Tá soltinha hoje ein.
    
    β€” Esquece isso. Vai, vou dar partida. Preciso aprender a dirigir.
    
    À noite, estava eu em casa, usando o WhatsApp Web e vendo bobeiras na internet. Me peguei pensando em Rafaela e na amiguinha dela. Além de não reconhecer travesti, ainda ...
Β«123Β»