1. Rapidinha com o casado no banheiro do supermercado


    Encontro: 14/09/2021, Categorias: Gay / Homossexual Autor: srhipnos, Fonte: ContoErotico

    A cidade em que moro não é muito grande, mas dobra sua população para a temporada de verão. Vira um caos. Mas esta história que vou contar aconteceu no feriado de Independência em um conhecido mercado daqui.
    
    Sabia que iria encontrar muito movimento no mercado, mas era obrigado a ir. No caminho já havia lembrado de como era gostoso o verão e a sua "pouca roupa". Cada cara maravilhoso. Aquilo me enchia de tesão. Cada passo no mercado encontrava um cara lindo, uns sem camisa, uns de sunga e muitos casados. Dava para ver que eram turistas só pela cara e o modo como se portam (não é preconceito, apenas nos acostumei a perceber as pessoas. Um dia também fui turista).
    
    Quando estava finalizando minhas compras me dou conta que alguns olhares estavam me vigiando a algum tempo. Não sou do tipo afeminado, nem musculoso. Sou aparentemente normal. Estava com uma bermuda dessas de jogar futebol e uma camiseta e marcava bem o volume. Também uso uma barba, que é ruiva e chama a atenção. Dou algumas voltas para me fazer de percebido e reparo o anel de compromisso.
    
    Era um cara mais velho que eu. Estava de camisa do Barça e bermuda jeans, deveria ter uns 39, 40 anos, com o corpo em dia. Tinha uma barba rala e não aparentava a real idade. Ele e sua esposa caminhavam pelo supermercado e eu os olhando discretamente. Havia muita gente no local. Os olhares eram recíprocos e cheios de malícia. O tesão e a tensão só aumentavam. Queria ver o que aquele cara tinha pra me oferecer, mas ficava com medo do diálogo. Foi então que lembrei que os banheiros daquele local eram fechados e não dava para ver nada dentro dos reservados. Fiz sinal discretamente, dizendo que iria ao banheiro e era para me seguir. Os banheiros eram no estacionamento, e quase sempre sem movimento. Entrei e esperei uns cinco minutos quando ele entrou.
    
    Estava no mictório e ele chegou ao meu lado e pôs aquele pau enorme para fora. Era uma vara incrivelmente bonita, daquelas experientes. Já tirou duro e começou a bater uma me olhando como quem quisesse uma mamada. Na hora comecei a masturba-lo. Sentia o tesão dele ao tocá-lo. Pedi para que entrasse no reservado e fui atrás. Tranquei a porta e a partir dali foi uma delícia que ainda bato uma até hoje pensando no que fizemos, Foi algo rápido, mas com muito tesão. Aquela vara, sem brincadeira, deveria ter uns 21 cm, branquinha e cheirosa. O casa não era muito grande. Os pentelhos eram aparedos. Ele disse baixinho que não podia demorar, mas que queria fazer tudo comigo.
    
    Com muito tesão chupei tudinho, enfiando na garganta e tirando, repetidas vezes. Pediu para me comer e eu não deixei. Então a força ele me encostou contra a parede do box e eu ali, sem reação, mas com muito tesão senti ele molhar com saliva meu cu já largo por causa do tesão e meter bem devagar. Senti a pressão do seu corpo todo sobre o meu. E a sua vara me penetrado. Era gostosa demais. Não sentia dor, somente algo me arrombando e me completando. Era tesão puro. Com as duas mãos ele ...
«12»