1. EXPERIÊNCIAS


    Encontro: 14/09/2021, Categorias: Gay / Homossexual Autor: trovão, Fonte: ContoErotico

    Recentemente, li que um homem na minha idade conseguir um parceiro ativo da mesma faixa é algo difícil, senão impossível …, não concordei, nem discordei, até mesmo porque, meu interesse é na pegação e não na penetração; isso, por duas razões: a primeira é que vale a regra “meu corpo, minhas regras”; a segunda é que, na minha idade, não crio altas expectativas, deixando que o destino me apresente oportunidades (aquele meu ditado: se a sorte sorrir para você, passe a mão na bunda dela!).
    
    E foi nesse clima que recebi um contato de um homem chamado Alexandre; ele se apresentou pelo aplicativo de mensagens, dizendo que vira meu anúncio e ficara interessado. “Gosto muito de homens mais velhos, gordinhos e tatuados”, escreveu ele. Teclamos por algum tempo, até ele pedir fotos minhas que enviei sem receio. Assim que recebeu, manifestou alguns elogios que, de minha parte, achei um tanto exagerados.
    
    Sem que eu pedisse, ele me enviou uma sequência de fotos, que mais pareciam um ensaio profissional com luzes e sombras enaltecendo as formas másculas do modelo. Senti um certo êxtase pelas fotos, mas sopesando que parecia areia demais para o meu caminhãozinho. Continuamos conversando, não somente naquele primeiro contato como também nos dias seguintes. Confesso que Alexandre despertou-me algum interesse, porém, um pouco escaldado com outras situações, inclusive, embaraçosas, deixei que a conversa seguisse com naturalidade, não exagerando na ansiedade.
    
    Em um certo dia, ele me chamou para teclar, perguntando se eu não poderia encontrá-lo para bebermos alguma coisa, juntos; preliminarmente, expliquei-lhe sobre minhas limitações de deslocamento e tempo, ao que ele respondeu não ver problemas de vir ao meu encontro; pois bem, marcamos para a manhã do dia seguinte, em uma padaria que fica nas proximidades de onde moro.
    
    Cheguei e procurei uma mesa mais recolhida e esperei por ele, pedindo um café e pão de queijo; logo, ele chegou. Alexandre era um homem de sorriso fácil e ar de simpatia, com uma jovialidade que não correspondia a sua idade. Ele sentou-se e pedimos mais café, passando a conversar. Percebi de pronto seu interesse em saber o que eu, realmente, estava procurando.
    
    Como sou uma pessoa objetiva, expus-lhe meus gostos e preferências, ao que ele ouviu atentamente, sem me interromper. “Pelo que entendi, você não curte penetração, porém nunca experimentou? Estou certo?”, perguntou ele ao término da minha explanação.
    
    -Sim, você está absolutamente certo – respondi com um sorriso – Não curto em nenhum sentido, seja como passivo, seja como ativo.
    
    -Compreendo …, mas, você concorda que isso é um tanto frustrante? – emendou ele em tom amigável – É como chupar uma buceta para depois dizer que não quer foder! Creio que isso o deixa em desvantagem?
    
    Naquele momento, Alexandre me deixou sem palavras, já que ele tinha razão e eu não tinha argumentos para contestar, até mesmo porque, perdi algumas oportunidades, justamente porque não aceitei ...
«1234»