1. Muita Coceirinha


    Encontro: 26/09/2021, Categorias: Outros, Autor: Anônimo, Fonte: ContosEroticosCnn

    De férias em Caldas Novas, é a lembrança de vida mais antiga que tenho, eu estava brincando com meu irmão de montar blocos um uma mesa infantil, qdo ele me empurrou e eu caí bem na quina da mesa de perninha aberta, forçando minha xequinha, senti uma sensação diferente , dei mais uma mexida no quadril e logo veio minha tia dizendo “senta e brinca direito Léla” e voltei a brincar. Depois desse dia criei um costume de só dormir com a mãe na Zequinha, minha mãe achava “fofo” eu “guardar” ela pra dormir. Nunca me esqueci da sensação que dava me encostar na mesa. Tempos depois, minha professora do pré chamou mamãe pq eu estaria me esfregando na mesa de atividade. Eu levei bronca. Me controlei. Mas nunca parei. Me trancava no banheiro mas a pia de lá era redonda não era bom. Fazia na quina da cama, uma empregada me flagrou e eu disfarcei, ela riu e debochou de mim. Às vezes não resistia e arriscava, o muro q guardava o registro de energia tinha uma quina macia, mexia de leve com discrição enqto ngm passava na rua. Me confortava com a mão suave a noite e uma fricção mais forte qdo conseguia privacidade. Aos 9 não dava conta de tanta coceira, tentei por canetas, doeu, prometo a mim nunca mau fazer isso. Cumpri. Mas intensifiquei a força da massagem. Eu de bruços aliviando meu instinto fui flagrada por um primo mais velho, aos 16 ele diz que absurdo ter me encontrado daquele jeito, que iria contar pra minha mãe , mas q pra não fazer isso eu podia ser boazinha q ele me ajudava. Tirou minha roupa td e pincelou no bumbum. Eu chorei. Ele então ficou esfregando até gozar. Qdo eu comecei a curtir à sensação ele soltou leite e tive nojo. Morava no Espírito Santo, ele foi embora no fds antes de eu entender o q acontecia. Mas me fez querer mais. Hoje tenho 37, fui masturbadora precoce e continuo viciada em me tocar, todos os dias, não sei me deitar sem massagear o clitóris. Tenho muitas lembranças da privação , repressão e constragimentos que passei por algo que meu corpo pedia e eu não tinha instrução nem orientação pra lidar. 
«1»