1. Borboletas sempre voltam 23


    Encontro: 13/10/2021, Categorias: amor Sexo, Mistério, Tesão, Gay / Homossexual Autor: Mistério, Fonte: CasadosContos

    Capítulo 23
    
    Bruno travava uma luta interna para conter as lágrimas. Sentia-se humilhado e traído. Como Jonas teve coragem de fazer isso comigo? era o que se perguntava diante da alegria de Matheus pela viagem.
    
    _ Desejo que vocês façam uma boa viagem._ respondeu Bruno abaixando o olhar.
    
    Matheus desviou o corpo para o lado.
    
    _ Ops! Por pouco não me acertou.
    
    _ O quê?_ perguntou Renata.
    
    _ A inveja da Bruninha.
    
    _ Deixa de ser infantil, Matheus! Olha o que a gente conversou!
    
    _ Tudo bem, mamãe! Foi só uma brincadeirinha.
    
    Bruno saiu da sala e foi para o quarto antes mesmo de tomar café. Trancou a porta, e mordeu os punhos para controlar a raiva e o choro.
    
    Uma hora depois Jonas o ligou, mas Bruno se recusou a atender. O rapaz mandou uma mensagem:
    
    Amor, eu posso explicar td. Estou no carro, aqui na esquina. Vem me encontrar. Precisamos conversar.
    
    Movido pela raiva, Bruno pensou em não ir. Deixar Jonas plantado o esperando, o fazer de idiota como foi feito. Em seguida, pensou em mandar uma mensagem desabafando o seu ódio em forma de xingamentos a Jonas.
    
    Por fim, decidiu ir até o encontro com o amante e ouvir o que ele tinha a dizer.
    
    Bruno entrou no carro sério e sem olhar para Jonas, que segurou o seu queixo para beijá-lo, mas Bruno se esquivou.
    
    _ Fala logo! Eu tenho mais o que fazer.
    
    _ Oh, meu amor, me perdoe? Eu não tive culpa! Eu não sabia que a Renata tinha tirado Matheus do castigo. Ele apareceu lá em casa de surpresa e viu as passagens, ficou me fazendo um monte de interrogatórios e por fim tive que dizer que as passagens eram para viajar com ele.
    
    Bruno ouvia olhando para frente.
    
    _ Olha pra mim. Eu juro pra você que eu não queria ir com ele...
    
    _ Não queria?
    
    _ Não quero.
    
    _ E por que vai?_ perguntava sem olhar para Jonas.
    
    _ Eu já te expliquei. O Matheus viu as passagens, eu tive que dizer que eram...
    
    _ Já acabou? Eu posso ir?
    
    _ Vai me tratar com essa frieza? Cara, eu não tive culpa!
    
    Bruno permaneceu olhando para frente.
    
    _ Meu amor, eu prometo que assim que eu voltar, vou planejar alguma viagem pra a gente. Um final de semana só nosso.
    
    Bruno olhou para Jonas.
    
    _ Olha, Jonas eu estou na merda. Estou desempregado, vivendo de favor na casa da minha tia e comendo o pão que o diabo amassou nas mãos do Matheus, mas eu não preciso da sua caridade!
    
    _ Não é caridade, Bruno! Eu quero ficar contigo!
    
    _ Comigo? Não quer não. Você com toda certeza prefere o seu namoradinho do que eu.
    
    _ Claro que não! Eu não tenho preferência! Amo os dois por igual!
    
    Bruno foi tomado um golpe de raiva.
    
    _ Eu odeio te amar! Você não sabe como dói te ver aos beijos com o Matheus! De saber que é com ele que você vai viajar, que é ele que você apresenta pra todo mundo como o seu namorado, que vocês transam enquanto eu fico em casa com cara de idiota.
    
    _ O que você queria, Bruno? A gente namorava e você sumiu sem me dizer uma palavra. Eu fiquei oito anos sem ter um relacionamento sério com ...
«1234»