1. CASO Nº 32 - CORNO MANSO


    Encontro: 13/10/2021, Categorias: Traição / Corno Autor: camilinha69, Fonte: ContoErotico

    O relacionamento que tinha com meu cunhado estava ficando cada vez mais intenso. Ele queria transar todos os dias, nem se fosse uma rapidinha. O medo sempre era que meu marido descobrisse que ele não era o único homem na minha vida. Apesar de todos os homens que já me comeram, acredito que ele nunca desconfiou de nada.
    
    Meu cunhado era insaciável! Eu amava isso nele. Sempre com tesão e pronto para trepar. Em uma dessas vezes, estávamos em casa, meu marido dormindo no quarto, eu e ele na sala, assistindo um filme que passava na TV. Como meu marido trabalhou a noite inteira, estava desmaiado, no décimo sono. O irmão do meu marido frequentava muito nossa casa, eles eram bem próximos, ligados. Ele era um homem solteirão, sua pele morena, com seus trinta e poucos anos, bem dotado e super romântico.
    
    Deitada no sofá com os pés em seu colo, enquanto o filme passava, suas mãos alisavam meus pés (fico louca de tesão quando tocam em meus pés). De repente sinto algo ficar duro e ele se contorcer. Forçando meus pés, ao mesmo tempo que se alisava ele se esfregava em mim. Parecia uma madeira me roçando. Eu fingi que nada acontecia. Olhando para a TV, suas mãos foram subindo em minhas pernas, joelho, coxa, a cada centímetro que subia, um pequeno arrepio. Quando chegou em minha calcinha branca que usava debaixo do vestido, seus dedos deslizaram bem no centro da minha raxa, alisando agora meus lábios vaginais. Nessa hora já estava mais que molhada, estava encharcada.
    
    Como se soubesse o que mais me deixa louca, sua boca mordiscou meus pés me fazendo gemer bem baixinho. Que cachorro!!! O corno dormindo no quarto e o seu irmão tentando me comer naquele sofá. Bem fácil, ele colocou minha calcinha de lado e me penetrou com seu dedo grosso e áspero. Fazendo movimentos de vai e vem me fodia com seu dedo, estava amando aquilo. Minutos que pareceram horas. Quando tirou seus dedos de dentro da minha xoxota, levou até sua boca e lambeu todo o néctar que havia consigo dentro de mim.
    
    Cheiro de sexo no ar. Se levantou e abaixou o shorts, o pau saltou para fora, duro e ereto, cuspiu em suas mãos, em seguida passou em seu pênis, era grande e grosso do jeito que eu gosto. Sentou-se novamente, segurou meus braços puxando para perto dele. Fui rapidamente. Levantei, tirei a calcinha e sentei de uma vez no seu cacete, que dor! Que sensação. Segurou minha cintura, me fazendo cavalgar em seu pau, em nenhum momento lembrei de meu esposo, só queria trepar. Com força ele fodia minha xota. Seu pênis entrava e saia de mim muito rápido, as bolas batendo na porta da minha buceta. Como transava bem meu cunhado.
    
    Ele encostou as costas no sofá, me deitando em seu peito, segurou minhas pernas e começou a meter mais sem parar, era frenético, seu pau escapava para fora e logo encontrava o buraco que ele fez em mim. Já estava próxima de um orgasmo, não sei como não gozei, tirou seu pau da minha xoxota e encontrou no outro buraco. Posicionou a cabeça do pau bem na entrada do meu cuzinho, ...
«12»