1. A putaria do Praça da 06 (finalmente Ster foi minha)


    Encontro: 13/10/2021, Categorias: GOZO., Penetração, Oral Heterossexual Autor: Ograo, Fonte: CasadosContos

    Olha eu de volta! Rsrsrs desculpem a demora, mas vida de casado e sem folga!
    
    Tô tendo tempo agora com a quarentena do corona, mas vou voltar a contar sobre minhas aventuras no Quadrão, recomendo q leiam os contos anteriores e já de começo me desculpo pelos erros.
    
    Bem pessoal, tive minha primeira vez de uma forma nada comum como viram no último relato, isso moldou minha mente pervertida, e até hoje sou meio ou completamente tarado, rsrsrsr
    
    Após aquele maravilhoso dia, eu comecei a ver muito Rabeca, ficávamos de safadeza pelas esquinas, mas não tínhamos mais conseguido transar, eu sempre estava sozinho em casa, já Rebeca e a irmã, estavam sempre aos olhos da mãe, passaram alguns semanas, e em certo dia, Ster q era de uma turma dois anos a frente da irmã, não teve aula, ao invés de ir pra casa ela foi para o meu colégio, colégio público era facílimo de entrar então quando sai para o intervalo dou de cara com Ster, fomos para a cantina lancha e começamos a conversar, Ster disse ter me visto pelos cantos com a irmã e perguntou se tínhamos feito algo mais e se tínhamos usado camisinha? Eu respondi q ainda n tínhamos feito mais nada mas q a vontade estava grande, ela riu e depois me pediu um favor, disse q estava doida pra fuder com meu amigo João e q no domingo os pais dela iam para a igreja e perguntou se podia ir com o João pra minha casa, como minha mãe tbm trabalhava aos domingos, e ficava em casa apenas as segundas e terças, ela disse q se eu deixasse ela levaria a Rebeca e eu poderia fuder sua irmãzinha, eu meio relutante disse q sim, mas q antes de João comela eu queria ir primeiro pois ela havia me prometido isto como prêmio se eu tirasse a virgindade de sua irmã, Ster parecia ter esquecido disso, puxou na memória e falou tudo bem, mas q então teria q ser hoje, ela mandou eu pegar minha mochila pois fugiríamos naquele instante, não pensei duas vezes.
    
    Chegamos na minha casa e ela pediu pra tomar um banho, eu deitei na cama e fiquei a sua espera, Ster saiu do banho já nua, e realmente a safada já tinha um corpo de mulher, bem diferente de Rebecca, parecia q uma das mulheres da minhas revistas tinha saltado da página e estava ali me encarando.
    
    Ster perguntou por q eu ainda estava de roupa, como se fosse um mágico minha roupa desapareceu , Ster subiu na cama e veio engatinhando até mim, começou a beijar meu corpo na altura do joelho, e foi subindo pela coxa, assim q chegou em minha virilha, meu corpo parecia estar com rigor mortis, nenhum junta se movia, apenas meus olhos a acompanhavam,
    
    Meu tesão era tanto q Ster sequer tinha encostado no meu pau e eles já escorria um filete de lubrificação, ela então foi até o meu saco e sem encostar ficou apenas o cheirando, e sua respiração ofegante me arrepiada e excitava, meu pau já minava água, a ponto da cabeça estar toda brilhando, ela então começou a mordiscar meu saco, em sequência alternava mordiscar e beijos, fazendo isso ela foi subindo, quando alcançou o tronco do meu pau, meu corpo ...
«123»