1. Então, deflorei


    Encontro: 21/11/2021, Categorias: Anal Virgindade, Primeira Vez / Adolescentes Heterossexual Autor: Cads, Fonte: CasadosContos

    Quando estou de volta a capital, chego a ficar de consciência pesada nós primeiros dias, daí recebo uma ligação de Simone, a gente fala bobagens ao telefone e fico na maior fissura de voltar pra roça. Estou a 85 km de lá, devido a obras, tenho levado uma hora e meia a duas horas para completar o percurso. Normalmente, saio na sexta-feira depois do trabalho e retorno no domingo à noite. Desde maio, venho trabalhando em home office mas não disse nada a Simone para não correr o risco dessa relação ficar sem limites: ligações e mensagens a toda hora. Relembrando, na segunda quinzena desse mesmo mês, tirei a virgindade dela. Se dissesse que não estou gostando, estaria mentindo, parte da minha mente, fica arquitetando como vai ser da próxima vez e fico, durante a semana, esperando quando ela vai me ligar ou passar uma mensagem.
    
    Às vezes, sinto que estou abusando dela ou que esperei que completasse dezoito anos para seduzi-la. Na verdade, há pouco mais de um ano passamos a trocar olhares fulminantes, do tipo: vem, estou de esperando. E desde fevereiro, quando veio a sua maior idade, pensando bem, as coisas mudaram. Simone passou a ir mais lá em casa, refiro a minha casa na roça, quando minha família estava presente ou só uma de minhas irmãs estivesse presente. Passou a ser muito prestativa e, volte e meia, procurava-me na casa para saber se estava precisando de alguma coisa. Sinceramente, enquanto estou aqui reunindo os detalhes para escrever o que aconteceu semana passada, estou em debate com meus pensamentos e, claro, fica óbvio demais, Simone não é tão inocente assim, estou sendo usado. No fundo disso tudo, fui escolhido para tirar a virgindade. Ela, simplesmente, prefiriu que fosse com alguém mais velho, mais experiente, menos afobado, que a tratasse com muito respeito e fosse sacana na medida certa; que explorasse toda a sua sexualidade, de modo que estivesse pronta: cheia de desejos, cheia de tesão, quando fosse penetrada. Estou confundindo as coisas.
    
    Por outro lado, divorciado há cinco anos, fiz sexo com minha ex nós dois primeiros anos, pelo menos, duas vezes por mês. Na cama, faça-nos muito bem. Nos últimos três anos, depois de cortarmos todos os laços, cheguei a pensar que o sexo restauraria o casamento, tenho ido, praticamente, todos os finais de semana para a roça e ficado lá de boa, sem nenhum envolvimento emocional. Mais ou menos, três anos sem ninguém, só na masturbação, deixa a gente muito carente. Tive algumas transas que nem valem a pena mencionar, já mencionei, não valem a pena relatar em contos. Vi em Simone uma oportunidade. Eu não presto, Simone e eu não prestamos. Rs.
    
    Semana passada, fui para a roça na quinta feira à noite. Não consegui esperar até o dia seguinte à noite, quando, de costume, vou. Na terça feira, logo depois do almoço, tomei um banho e deitei um pouco pra assistir tv. Não demorou, o telefone tocou: sabe o que estou fazendo? Lembro de ter enchido os pulmões para espreguiçar e com uma voz rouca dizer alguma ...
«1234»