1. Meu vizinho roubou a inocência da minha noiva – Parte I


    Encontro: 25/11/2021, Categorias: Traição / Corno Voyeurismo Autor: Repostador, Fonte: ContosEroticosCnn

    Chamo-me Carlos e trabalho como gerente de operações de uma empresa multinacional, um tempo atrás, eu fui mandado para o Rio Grande do Norte, pois iria inaugurar uma nova filial no estado e fui designado a acompanhar o andamento das obras, foi nesta época que conheci Sabrina uma loira típica da região com os peitos fartos, bunda e coxas enormes e muito bem torneadas, começamos a namorar neste período e quando as obras se encerraram, eu teria de voltar para a casa no Rio de Janeiro, então decidimos que ela viria morar comigo já que estávamos nos gostando muito e quem sabe futuramente nos casaríamos. Moro num bairro tranquilo do Rio, porem tinha um vizinho muito folgado que desde que se mudou sempre batíamos de frente, seu nome era Tadeu, era um homem moreno mais para negro mesmo, alto e rustico, além de muito intransigente, porem seu comportamento mudou quando cheguei a minha rua com Sabrina, logo que cheguei à frente de casa por uma grande falta de sorte, ele estava sentada na calçada da rua trajando um bermudão branco e com a mesma cara debochada de sempre, ao descer do carro com Sabrina que trajava uma blusa branda e uma calça legging roxa, que por ser emprestada de sua irmã mais nova, havia ficado muito apertada evidenciando sua xoxota, o semblante dele mudou e já veio me cumprimentando falando que nunca mais tinha me visto e tal coisa e coisa e tal, respondi as suas perguntas meramente por educação, sem demora ele me perguntou quem era a moça que estava comigo, então lhe disse que era minha noiva, ele com a maior cara de pau do mundo, quando Sabrina lhe estendeu a mão, ele a puxou de encontro ao seu corpo e já foi logo a abraçando, com seu corpo bem colado ao dela e disse ao pé do seu ouvido que seu nome era Tadeu e no que precisasse podia contar com sua amizade, ela sorriu, notei que abriu um pouco as pernas e disse que seu nome era Sabrina. Ele lhe apertava a cintura, de forma a pressionar a área do púbis de ambos, uma na outra, na hora fiquei roxo de raiva com tamanha ousadia de sua parte, pois via o contorno de seu pau já meio duro esfregando-se na bucetinha de minha noiva, mas me mantive calmo, pois não queria me exaltar com ele na frente de Sabrina, pois em vista de seu comportamento caloroso eu poderia transparecer que era muito ciumento ou descontrolado após algum tempo ele soltou minha noiva e podemos adentrar minha casa, eu queria lhe mostrar a casa, mas ela insistiu em ficar falando como meu vizinho era bonzinho e amigável e de como ela se sentia acolhida com a animação das pessoas aqui do Rio, então como estava cansado logo fui dormir, ela veio e se deitou ao meu lado, mas estava tão cansado que não esbocei qualquer reação. No dia seguinte sai cedo para trabalhar e lhe disse para ficar a vontade que a casa agora também era sua, o dia transcorreu normalmente, onde recebi elogios do meu chefe pelo bom trabalho, mas fiquei ocupado o suficiente com as papeladas restantes para não conseguir ligar para casa ao longo do dia. Ao chegar já ...
«1234»