1. Acampando com a Débora 2


    Encontro: 25/11/2021, Categorias: Namorada, Oral Aventura, acampamento, Heterossexual Autor: Marcelo, Fonte: CasadosContos

    No outro dia, acordamos ligados como siameses. Estava um lindo dia de Sol
    
    - Como é que tu consegue? Eu passei a noite toda acordada e tu roncando aí!
    
    Na hora eu achei que ela estivesse braba por eu ter roncado demais, mas não.
    
    - Eu estava apavorada com aquela chuva louca, um monte de raio e trovão e tu roncando desse jeito! Como se nada demais estivesse acontecendo!!!
    
    - Como assim? Voltou a chover depois que eu dormi?
    
    - Claro, né?
    
    - E por que tu não me acordou?
    
    - Por que tu não estava acordado pra me proteger!?
    
    Ela estava me xingando como se eu tivesse abandonado ela. Traído. Ou com se eu tivesse pegado a melhor amiga dela na festa, sabe? Mas, por outro lado, enquanto ela falava, eu admirava aqueles seios lindos. O fato é que ela sempre me xingava, então era como alguém que fica surdo de tanto ouvir som alto por muito tempo, eu já não ligava mais. O Sol iluminava a barraca e estava muito calor lá dentro, por isso ela já tinha tirado as cobertas. Os seios dela são de deixar babando! E, de certo modo, anestesiaram a dor de ouvir as xingadas incessantes. Ela estava com aquele cabelo amanhecido que eu amo! Geralmente, quando eu vejo a mina com esse cabelo todo desarrumado é porque a noite foi boa. Hahaha! Olhando mais embaixo, estava a pepeca peluda dela. Um dia ela veio com esse papo que não ia mais se depilar. No início, eu até achei estranho, mas, no fim, até que gostei do estilo retrô e sexy dela. Adoro aqueles pelinhos dourados, tão revolucionários, mas aposto que minha avó tinha uns iguais.
    
    De repente ela parou de falar do nada e, com os olhos arregalados, perguntou:
    
    - Tem uma árvore encostada na barraca? Mas essa árvore não estava aí ontem!
    
    Eu olhei pra trás e de fato a árvore estava quase entrando na barraca! Logo pensei: putz, vai sobrar pra mim de novo!! Ela saiu da barraca nua mesmo e gritou lá de fora.
    
    - PORRA, MARCELO! EU PERGUNTEI ONTEM SE TU TINHA PRENDIDO A BARRACA NO CHÃO!!
    
    Ela estava com tanta raiva que eu acho que nem se deu conta que continuava pelada do lado de fora. Eu lembrava de ter prendido a barraca, mas… Ao sair, constatei que ela deve ter se movido uns 4 metros, provavelmente levada pela água da chuva e foi parada pelo tronco de uma árvore. O que tinha mesmo depois da árvore? Tu consegue adivinhar?
    
    - A gente podia ter morrido, Celo!!
    
    Disse a Débora agachada com as mãos na cabeça. Acontece que até hoje eu sou meio virgem nesse negócio de acampamento, sabe? Ainda não sei bem fincar o pau da barraca! Ainda bem que o camping estava vazio, porque aquela mina pelada ali com certeza ia chamar muito a atenção. Ainda mais com esse lindo e maravilhoso eu do lado dela expondo minha vara ao sol. Mesmo me xingando o tempo todo, ela me ajudou a colocar a barraca de volta no lugar e me deu uma aula de como fincar o pau da barraca. Vendo ela nua e agachada daquele jeito, me fez querer fincar outro pau em outro lugar. O mais interessante disso tudo é como que a Débora perdeu a memória de ter ...
«1234»