1. Meu pai meu querido macho


    Encontro: 02/12/2018, Categorias: Heterossexual Autor: kati, Fonte: ContoErotico

    A pessoa ter dois meses de aluguel atrasados, luz cortada e só ter água porque vem do poço da comunidade, não se pode dizer que a vida está lhe sorrindo.
    
    Era o caso de Dinar, uma morena linda de cabelos cacheados, seios medios e durinhos, bumbum nacional, sem conta uma cinturinha invejável, sua boca carnuda e sensual quem não heveria de querer provar.
    
    Porém essa bela morena morava na periferia, numa parte bem pobre da cidade.
    
    Sua mãe lutou muito para criá-la, pois seu pai desapareceu a deixando grávida. Sua mãe até tentou achá-lo, porém o nome que ele lhe dera era falso, então teve que lutar sozinha para criar Dinar.
    
    Agora Dinar era uma linda moça de 19 anos, que trabalhava duro para ajudar a mãe, sua única saida era trabalhar em casas de família. Por recomendação de uma das patroas de sua mãe, onde ela dava faxina, ela vai parar na casa de uma familia muito gente boa, composta do avô, um garoto de 9 anos e lógico o casal que eram médicos.
    
    Não só ela gostou do ambiente e das pessoas, com eles também de cara gostaram dela, e pelas referências então, não tinha como não contrata-la.
    
    Assim Dinar aprovada, começou logo no dia seguinte, trabalharia até as 6 da tarde, podendo depois ir prara casa.
    
    Durante o dia fica só ela e o sr. Jonas, raramente o garoto ficava em casa, tinha muitas tarefas, aula de inglês, judo e lógico a escola pela manhã.
    
    Jonas passava boa parte da manhã na académica bem montada na parte dos fundos da casa, enquanto Dinar se encarregava de todo serviço da casa, nada difícil pra ela pois além de eficiente era muito trabalhadora.
    
    Jonas que amava se exercitar, parecia ter tomado mais gosto pela malhação, era um sugeito de corpo bem definido, sem barriga, alto cabelos grisalhos, não demonstrava ter 53 anos, pois era bem enformar, adorava se exibir aqueles shorts apertadinhos de academia, onde deixa as coxas grossas e o volume da área de lazer bem a mostra. Lógico que Dinar notava que ele era um belo homem, apesar da idade, mais procurava nunca encará-lo, mais percebia que ele secava ela a comia com os olhos, avidos e cheios de desejo, quando ela por algum motivo passava para a área da academia, ele fazia questão de se exibir e puxar assunto, ao qual ela respondia educadamente e se apressada, em sair de perto dele.
    
    Mais Jonas era homem acostumado a ter o que queria, sempre fora assim desde jovem, tinha um lema, eu quero eu posso.
    
    Não demorou para ele investir mais direto em Dinar, as veses ele subia depois dos treinos, passava pela cozinha para beber água, e fazia elogios a ela que a deixava sem graça.
    
    Mais cansado do joguinho de palavras, ele resolve em uma daquelas manhãs, chegar por trás dela e lhe dá uma encoxada, com a desculpa de pegar um copo no armário, ela exclama: Sr.Jonas por favor contenha-se, ele não posso você provoca meus mais secretos indomáveis istintos, e a vira de frente pra se dando um beijo que a deixou sem folego, no que ela corresponde ao sentir aquela língua dançando na sua ...
«1234»